terça-feira, 9 de junho de 2015

Futuro


Nosso país tem todos os predicados, para ser o país do futuro. Sabem por quê? Porque o futuro nunca chega e pode não existir. Nunca o futuro ficou presente.
Quer certificar-se disto? Observe os jovens, que é o futuro. Há algum tempo, observo o comportamento dos jovens atuais e dos jovens dos anos 1920, 1930, 1940, 1950 e de outros jovens que estão fora da idade cronológica.
Eu descia a Av. Nove de Julho, no sentido para o centro da cidade, e ao chegar à rotatória da rodoviária, eu parei. Parei porque a preferência é de quem transita pela rotatória. Parado, observei uma adolescente pilotando uma tremenda máquina de 50 cilindradas, com motor a pleno, desenvolvia sua maior velocidade. A garota ao chegar à rotatória não fez o contorno para subir pela Av. Nove de Julho. Fez um atalho. Entrou na contra mão da rotatória e entrou na Av. Nove de Julho. Este atalho lhe encurtou o caminho, mas poderia ter encurtado sua vida também.
Se fosse uma adolescente educada, certamente ela teria feito o contorno pela rotatória. Educação para o trânsito ela não tem. Aparentemente sua idade não passava de dezoito anos. Dezoito anos... Se ela bater, matar ou morrer quem responderá pelo seu ato? Seguramente o jovem dos anos 40 ou 50. Seu pai. E onde estavam as autoridades?
Se fosse uma adolescente educada, certamente teria feito o contorno pela rotatória. Sabem por quê? Porque não há educação para vender na farmácia. A educação nasce no seio da família e é forjada na escola.
Escola... Será que na escola há professor educador? Professor educador é do passado ou do futuro? Futuro não chega. Se o futuro não chega, por que vamos ficar na esperança que amanhã será melhor? A esperança só tem sentido quando se planta.
Espera-se que nasça arroz, se plantar uma semente de arroz. Espera-se que nasça compreensão, dedicação, obediência às regras estabelecidas, se plantar a semente fraternidade e do bom senso. Torá, Bíblia são fontes de inspiração.
Nosso país é o país do futuro, porque o futuro nunca chega. E não plantamos educação para que haja a esperança de termos uma sociedade educada. Fica a dúvida: será que existem professores que sabe plantar.
São dos pequenos fatos, que se observa o comportamento da sociedade. Andar na contramão é andar contra as normas estabelecidas. Reflexo de uma sociedade sem cultura e sem educação.
Educação, responsabilidade do Estado.
Cultura, responsabilidade da família e do corpo docente.
Não pense que cada povo tem o governo que merece.